22
Abr 13

A história recente da eletricidade/ energia em cabo verde, tem sido marcado, pelos altos preços e deficiência na qualidade do fornecimento. Toda a governação do PAICV, a questão da eletricidade e energia, ficou basicamente pelas promessas de campanha, porque, numa foi uma preocupação governativa. Entretanto, nunca faltou criatividade para manobras de tacticismo político, com supostos projetos e investimentos na área das energias que nunca viram a luz do dia. Quem ouve o ministro do Turismo, Indústria e Energia, Humberto Brito, não sente evolução em relação aos anteriores ministros da tutela. Hoje, no parlamento, voltou-se o disco e tocou o disco. Humberto Brito, sempre que obrigado a justificar o preço de ouro que é a eletricidade em Cabo Verde, regressa a pobreza franciscana de chamar a razão o ano de 2001 para procurar termos comprovativos. Ora, o mais distraído dos cabo-verdianos, percebe o aumento da taxa de cobertura de eletricidade de 53% em 2001 para 96% em 2012. Este processo, deu-se por e implemento pela melhoria da qualidade de vida dos cabo-verdianos, e pelas exigências que esta qualidade de vida obriga. Sendo assim, este governo não procura criar um compromisso para baixar os custos da eletricidade/ energia, sendo esta o sector que mais dificulta o investimento no arquipélago e no ajustar do crescimento económico desejável para redução do desemprego. 

publicado por CABO VERDE NOVOS RUMOS às 20:10

Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
17
18
19

21
23
24
25
26
27

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO